Brazil-Flag-128

Maceió

Piscinas naturais, Pajuçara, Praia do Francês, dunas: saiba o que fazer na capital de Alagoas

Quando foi: Novembro de 2015

Quanto tempo: 4 dias

Maceió é um lugar incrível. Para aqueles que colecionam destinos de praia, ou acham que mar transparente é só no Caribe, não podem deixar de ir à capital de Alagoas. O Nordeste do Brasil nunca decepciona. Eu tinha pouco tempo e achava que não ia conseguir conhecer muita coisa. Mas se organizar o tempo e o local de hospedagem estrategicamente, dá pra fazer muitos passeios, sem pressa! Esse roteiro se encaixa perfeitamente em um feriadão de quatro dias pra quem conseguir passagem de avião, e se o voo for direto, melhor ainda!

* Algumas fotos desta galeria são imagens de divulgação do site oficial Turismo Alagoas.

TRANSPORTE:

As principais companhias aéreas brasileiras têm voos diretos ligando Rio de Janeiro e São Paulo a Maceió, viagem que dura aproximadamente 2h30. Existem muitos voos com conexões também, que costumam ser um pouco mais baratos. Há ainda empresas de ônibus que fazem a ligação da capital alagoana com outras cidades do Nordeste. O trajeto de Recife até lá, por exemplo, dura cerca de cinco horas.

​Para circular dentro de Maceió, as praias urbanas de Pajuçara e Ponta Verde podem ser visitadas em agradáveis caminhadas pela região. Para ir a outras praias e atrações mais afastadas, é preciso ir de carro ou fechar alguma excursão (leia mais abaixo).

HOSPEDAGEM:

Pajuçara/Ponta Verde é a melhor região para se hospedar. São as praias do centro, lindas, orla badalada, e relativamente próximo a outras praias que podem ser visitadas de carro/excursão fora do centro. Nessa região tudo pode ser feito a pé: praias, quiosques, restaurantes, feira de artesanato e até mesmo a ida às piscinas naturais, onde você só precisa descer na areia e logo será abordado por um jangadeiro convidando. Nunca foi tão simples ir a uma piscina natural.

Aluguei pela internet um apartamento na Pajuçara, clique aqui neste link e veja. Os proprietários Ajax e Emília foram solícitos do início ao fim, e o apartamento é ótimo, com um quarto e uma sala, mas eles possuem outro de dois quartos também. Na época que eu fui (novembro/2015) os preços para apartamento estavam mais baixos do que hotéis.

– FAÇA AQUI A SUA RESERVA PELO BOOKING.COM OU HOSTELWORLD.COM

PASSEIOS:

Dia 1 – Dunas de Marapé

Excursão com Juliano Traslado para as Dunas de Marapé. Guias excelentes, animados, e preço acessível. Esse passeio é feito em um ônibus. Como é muito distante, traslado particular sai caro. Uma praia linda que temos a opção de curtir mar e rio. Fica na cidade de Jequiá da Praia, a 1 hora de Maceió mais ou menos. O valor do passeio era em torno de R$ 60, mas está incluído almoço em buffet liberado de primeira qualidade, com variedade de frutos do mar e comidas tradicionais.

​Ao chegar na praia, temos mais algumas opções de passeio que são pagos por fora. Eu recomendo o passeio no mangue, feito com o guia ‘Sorriso’, custa R$ 15 e é uma experiência bem exótica onde vamos de barco pelo Rio Jequiá até chegar no mangue, conhecemos a história da região, fazemos uma trilha no mangue, caçamos caranguejos e depois podemos aproveitar o rio e a lama medicinal. Depois, pegamos o barco de novo e subimos até o alto de uma duna, de onde é possível enxergar o encontro do rio com o mar. Depois voltamos para a praia. Esse passeio do mangue dura por volta de 1 hora e meia. Para fazer o passeio das Dunas de Marapé é preciso tirar um dia inteiro.

Dia 2 – Praia do Francês/Barra de São Miguel/Praia do Gunga – Litoral Sul

Fiz as três praias em um dia por falta de tempo, mas recomendo separar Praia do Gunga em um dia, e Praia do Francês/Barra de São Miguel no outro. Mas é possível fazer tudo em um dia e aproveitar tudo, é só chegar bem cedo e sair tarde. Fiz com Traslado particular com a Molinari Turismo, nossa guia foi a Sâmia e fez várias paradas na ida e na volta pra gente conhecer os arredores.

A praia do Francês/Barra de São Miguel é ideal para relaxar e conta com quiosques como o “Praêro“, que você paga uma entrada em torno de R$ 15 e tem uma estrutura confortável para curtir a praia. 

A praia do Gunga que também é ótima pra relaxar, já oferece diversas opções de passeio. Fiz falésias do Gunga de buggy por R$40 por pessoa (existe a opção de quadricículo também, que você dirige) e Aquário Natural do Gunga, que pegamos uma lancha até um local cercado por corais, para observar os peixes – R$ 30 por pessoa e a lancha comporta umas oito. Também passeamos em alto mar e conhecemos uma parte que tem um banco de areia no meio, com bar e tudo. Na volta da praia para o centro, parada obrigatória no Mirante do Gunga para observar os coqueiros, e no pôr do sol a vista é maravilhosa.

Dia 3 – Piscinas naturais de Pajuçara/Angra de Ipioca

As piscinas naturais de Pajuçara, pra quem não terá tempo de ir até Maragogi, não deixam a desejar. E as jangadas estão disponíveis o dia inteiro em vários pontos das praias do centro para fazer o passeio. Mais um motivo para ficar hospedado no centro. Custa em torno de R$ 20 + uma taxa pelo snorkel. É bom ficar atento à tabua das marés, mas os jangadeiros só fazem o passeio com a maré adequada. Dá pra fazer esse passeio em qualquer manhã/tarde sem comprometer o restante do dia, podendo até fazer outro passeio no mesmo dia ou ficar curtindo alguma praia do centro mesmo.

Angra de Ipioca – Litoral Norte: possui mar com cor bem clara e é uma praia bem calma. Não possui orla com muita estrutura, e a maioria das pessoas que vai conta com a estrutura do resort “Hibiscus”, pagando uma taxa de R$ 25 para curtir espreguiçadeiras, redes, banheiro, chuveiro e etc. O restaurante tem muitas opções de pratos, petiscos e drinques. Também não é preciso um dia inteiro para curtir essa praia. Fiz o traslado particular com a Sâmia também, que nos levou e depois foi nos buscar.​

NOITE:

Quiosque Kanoa: quiosque mais badalado da orla, fica na praia de Ponta Verde. Música ao vivo muito animada, pratos e drinques ótimos.

Quiosque Lopana: similar ao Kanoa, também em Ponta Verde, mas com DJ na maioria das vezes.

Imperador dos Camarões: fica em Pajuçara, famoso pelo prato típico de Maceió, “Camarão no Chiclete”. Não dá pra ir pra lá e não experimentar. Preço superbarato, e o prato pra uma pessoa muitas vezes serve duas. Em um jantar na orla, a conta dificilmente passa dos R$ 35 por pessoa.

Feira artesanal de Pajuçara: vale a pena conhecer o artesanato local, experimentar as cachaças, pimentas e o doce de leite

QUER SABER MAIS SOBRE MACEIÓ ? ACESSE TAMBÉM:

Site oficial da cidade

​- Vamos Fugir

​- Vida de Turista

Artigo anteriorLondres
Próximo artigoChiang Mai
Laura Góes
Laura Góes
Analista de T.I, mora no Rio de Janeiro, gosta de aproveitar o tempo livre para fazer viagens curtas.

Leia Também

São Miguel dos Milagres

Praias, jangadas e o paraíso descoberto em uma vila rústica e calma na rota ecológica de Alagoas

Maragogi

Piscinas naturais e a variação das marés na capital da Costa dos Corais em Alagoas

Chapada dos Veadeiros

Cachoeiras, natureza, boas energias e esoterismo em Alto Paraíso e região

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimos Posts

Marselha

As belas calanques, praia, sol, imigrantes e uma França bem diferente da capital

São Petersburgo

Com toque europeu, a luxuosa cidade imperial dos czares russos, cultura e as noites brancas

Ios

A ilha grega com festas o dia inteiro e diversão garantida a preços baixos

Kotor

A mais famosa cidade medieval fortificada de Montenegro, e o passeio no Parque Durmitor

Budva

Praias e festas na cidade mais turística de Montenegro, e Sveti Stefan como cartão-postal